HISTÓRIA DA ODONTOLOGIA DA POLÍCIA MILITAR

 No ano de 1893, foi criado o cargo de tenente cirurgião dentista, através do Decreto nº 1.263-A, de 10 de Fevereiro de 1893, do novo regulamento instituído para a Brigada Policial da Capital Federal. Inicia-se, assim, a história da Odontologia na Polícia Militar do Estado do Rio de janeiro.

Segue abaixo trechos do novo regulamento:

Dá novo regulamento para a Brigada Policial da Capital Federal.

O Vice-Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil, usando da autorização conferida pelo art. 18 da lei n. 76 de 16 de agosto de 1892, resolve decretar que na Brigada Policial da Capital Federal seja observado o regulamento que com este baixa, assignado pelo Ministro de Estado da Justiça e Negócios Interiores.

Capital Federal, 10 de fevereiro de 1893, 5º da Republica.

Floriano Peixoto.
Fernando Lobo.

    Art. 4º O estado-maior da brigada pertencerá ao 1º esquadrão do regimento de cavallaria e se comporá, além do comandante, de:

  • 1º Um major ou tenente-coronel assistente, encarregado do detalhe.
  • 2º Um secretario, capitão ou subalterno.
  • 3º Um ajudante de ordens, capitão ou subalterno.
  • 4º Um inspector da contadoria e do material, tenente-coronel ou coronel; um thesoureiro, capitão; um 1º auxiliar, capitão ou major, e dous 2ºsauxiliares, alferes ou tenentes.
  • 5º Um médico tenente-coronel, inspector do serviço sanitário; dousmedicos majores, quatro medicos capitães, seis medicos tenentes, um pharmaceutico tenente, um pharmaceutico alferes e um cirurgião-dentista tenente.

CAPITULO II

DOS OFFICIAES, SUA NOMEAÇÃO, PROMOÇÃO E PRECEDENCIA

    Art. 8º As nomeações e promoções dos officiaes, quer do estado-maior, quer da fileira, serão feitas por decreto, observando-se o seguinte:

  • 6º O cirurgião-dentista será também nomeado por decreto satisfeitos os requisitos dos arts. 304 e 305, podendo ser dispensado do concurso o que já houver prestado serviço gratuitos á brigada por mais de seis meses.”

Com base em pesquisas, podemos citar os primeiros oficiais Cirurgiões Dentistas:

Antônio da Costa Porto (agregado)

Clodomir  Ceciliano de Carvalho Duarte e Octavio de Castro (nomeados)

Nesta foto observamos sala de espera dos consultórios de dentista e oftalmologista no ano de 1921, no Hospital da Polícia Militar.

Foto do serviço de saúde em 1921

Pessoal do Serviço de Saúde em 1921

Foto do gabinete odontológico no Hospital da Polícia Militar com o 1º Tenente Clodomir Ceciliano de Carvalho Duarte em atendimento no ano de 1921

Ao lado da foto, constam os nomes do Diretor e oficiais da saúde no Hospital da Polícia Militar no ano de 1922, onde aparecem os Oficiais Dentistas Clodomir Duarte e Octavio de Castro

Capa do Almanaque de 1902, onde aparece o 1º Oficial Dentista Tenente Antônio da Costa Porto (agregado)

Capa do almanaque de 1922

Almanaque de 1925, onde já aparecem os nomes dos Oficiais Dentistas: Tenentes Clodomir Ceciliano de Carvalho Duarte e Octavio de Castro

Almanaque de 1965, após a realização do 1º Concurso em 1963 para Oficiais do Quadro de Saúde da PMERJ

Ao longo do tempo, o Serviço de Saúde na Odontologia da Polícia Militar evoluiu muito.

Consultório no 2ºBPM na década de 60

Em 1967,no HPM  existia uma divisão dos consultórios odontológicos  para homens e outro para mulheres e crianças.

Oficiais do Serviço de Saúde no HPM com o então Comandante General Ferraro– 1968 – na Inauguração dos Ambulatórios no HPM

Entre os anos de 1977 e 1980, foram realizadas ações cívico-sociais conhecidas como campanhas ACISO, onde os oficiais de saúde realizavam atendimentos em comunidades da cidade do RJ.

Relatório da Operação ACISO – 1980

Slogan da campanha ACISO na Cidade de Deus – 1980

Atendimento realizado em equipamentos de campanha durante operação ACISO

Oficiais Dentistas durante campanha do ACISO. Da esquerda para direita:  os oficiais Ten Arnaldo, Ten Valtriz e Cap Ronaldo de MoraesTelles 

Oficiais dentistas da PMERJ reunidos no Congresso Internacional de Odontologia, no ano de 1985.

Em 1960, a capital do país foi transferida para Brasília e a cidade do Rio de Janeiro, antigo Distrito Federal, passou a ter o nome de Estado da Guanabara. A instituição, que naquela cidade era denominada Polícia Militar do Distrito Federal, passou a ser chamada Polícia Militar do Estado da Guanabara (PMEG). No restante do Estado a corporação ganhou o nome de Polícia Militar do Rio de Janeiro. Neste período da história foram realizados concursos distintos para o quadro da Saúde de ambas as Polícias. Em 15 de março de 1975, o Governo Federal decidiu reunir os dois Estados, o que determinava a fusão dos Estados do Rio e o da Guanabara, havendo assim uma reestruturação na Polícia Militar, e consequentemente, fundir-se-iam as duas Corporações Policiais Militares. Surgiu então a Corporação assim como a conhecemos hoje, Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ)A partir de 1963, a área de Odontologia da Polícia militar passou a realizar concursos para compor seus quadros de saúde. Além de 1963, foram realizados concursos nos anos de 1971, 1985, 1988, 1990, 1994, 2001 e o último no ano de 2010. A realização de concursos possibilitou o aumento do atendimento odontológico ao Policial Militar e seus dependentes, além de ampliar a rede de consultórios odontológicos.

No ano de 1994 foi o primeiro concurso de acesso do sexo feminino nos quadros de saúde da corporação.

Atividades extra muros de Prevenção  e de Promoção de saúde bucal no ano de 1998, onde estavam presentes oficiais da PPM/OLARIA , o comandante geral da época (Cel Wilton Ribeiro) e o DGS ( CelEnildo Feres).

Primeiros trabalhos extra muros realizados pela equipe da PPM/OLARIA no ano de 1998.

Entre os recentes avanços da Odontologia na PMERJ, citamos a ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA POLÍCIA MILITAR – OCPM, criada em 11 de maio de 2007 e inaugurada em 21 de dezembro de 2009. A criação da OCPM ofereceu ao Policial Militar uma melhoria no atendimento odontológico. Assim, tornou-se necessário a instituição de uma DIRETORIA GERAL DE ODONTOLOGIA– DGO, criada através da RESOLUÇÃO SESEG Nº 428 DE 23 DE DEZ DE 2010, com o objetivo de proporcionar à família policial militar um atendimento de qualidade e excelência.

De acordo com a Resolução, a Diretoria Geral de Odontologia da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro tem por finalidade elaborar a política de saúde bucal da Polícia Militar, bem como organizar, dirigir e controlar as atividades técnicas e administrativas das unidades de saúde bucal a ela subordinadas.

Atualmente existem 36 unidades de saúde bucal distribuídas em:

Unidades primárias

Unidades secundárias

Unidade terciárias

Unidade quaternária (HCPM)

Unidade Móvel (Trailer)

Os oficiais dentistas são constantemente incentivados à atualização e capacitação. São assim estimulados a participar de congressos e jornadas odontológicas militares, além de desenvolvimento de pesquisas cientificas.

Atualmente, a Odontologia da PMERJ conta com 232 dentistas oficiais. O ingresso é feito por concurso público nas diversas especialidades odontológicas.

Em 25 de outubro comemora-se o Dia Nacional do Cirurgião Dentista, quando realizam-se eventos para marcar a data. No dia 25 de outubro de 2018, realizou-se evento comemorativo com a participação do Serviço de Assistência Religiosa (SAR) e da Orquestra Sinfônica da PMERJ.

A Odontologia da PMERJ trabalhando sempre em prol da Família Policial Militar!

JUNTOS SOMOS FORTES!

Inauguração da Odontoclínica Central da Polícia Militar – OCPM, e atendimento odontológico nos dias atuais

Sala de espera dias atuais – OCPM

Mutirão de Dentística na OCPM em 29 março de 2014.

Trailer da Unidade móvel nos dias atuais, e Equipes de Promoção de Saúde Bucal em eventos externos.

Atendimento no Trailer da Unidade móvel de Odontologia durante evento extra muro

Mesa de Prevenção e Promoção de Saúde Bucal montada em evento e oficial dentista em atividade realizando instrução de higiene bucal.

Evento realizado na DGO / OCPM no dia 25 de outubro de 2018 em comemoração ao dia Nacional do cirurgião dentista. Oficiais reformados que muito contribuíram para a história da odontologia na PMERJ participaram desse evento sendo homenageados por todos os presentes. Podemos mencionar aqui os Coronéis e Tenentes Coronéis RR: Paulo Riff, Bernardino, Pedro Helder Ferraz, Jorge Marcos de Paiva Marinho e Ronaldo de Moraes Telles.

Este trabalho de Pesquisa sobre a História da Odontologia na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro foi realizada pela Ten Cel Dent Marielisa Buriche Coutinho Leal, com o apoio da Diretoria Geral de Odontologia (DGO), Coordenação de Comunicação Social da PMERJ (CCOMSOC), Museu da Polícia Militar, CETIC, arquivo do BPCHOQUE, Biblioteca da APM D.J.VI, e com os seguintes colaboradores: Cel Dent João Guilherme Marra, Cel PM Frederico Caldas, Cel Dent José Eduardo Antônio de Mattos, e com a colaboração de Coronéis e Tenentes Coronéis que participaram ativamente na História da Odontologia da Polícia Militar a quem agradecemos pela ajuda a compor essa História, citamos abaixo :

Coronéis e Tenentes Coronéis RR:

Paulo Zouain, Jarbas Ferreira Santiago, Paulo Riff, Ronaldo de Moraes Telles, Geraldo Wagner Leão, Bernardino Leizembuch, Gil Felga, Aroldo Ribeiro Wanzeller, Jorge Marcos Paiva Marinho, Jorge de Souza Arêas, Pedro Helder Ferraz, e familiares de Orlando Chevitarese e de Mario Dumans.